diversos

A cidade entre o rio e o mar

A cidade entre o rio e o mar

Fundada em 1585 às margens do Rio Sanhauá, a cidade de João Pessoa reserva aos seus moradores e visitantes uma nobre oportunidade de contemplar a história, a arte e a natureza em comunhão. Uma síntese disso é o Centro Histórico preservado, com seus casarões, igrejas e ruas centenárias. Nesse ambiente, são pontos de visita obrigatória, locais como o Largo de São Frei Pedro Gonçalves e a Praça Antenor Navarro, onde se encontram relíquias históricas como o Hotel Globo e o casario do início do século XIX. Indispensável também é a visita ao conjunto arquitetônico da Igreja de São Francisco / Convento de Santo Antônio, considerado o maior monumento em estilo barroco da América Latina.

  • A cidade entre o rio e o mar

     

    Pôr-do-sol no Centro Historico, margeado pelo Rio Sanhauá

    City Tour

     
    Iluminada pelos primeiros raios de sol da América do Sul, a cidade de João Pessoa, agrega inúmeras motivações para a felicidade de quem vive ou visita o lugar. Nesta edição, o Mapa Guia Made in PB apresenta um roteiro que sintetiza as maiores dádivas locais, especialmente durante o verão. Nele, somam-se ao patrimônio histórico-arquitetônico da cidade fundada há 431 anos, a riqueza de seus monumentos naturais, incluindo algumas das praias mais belas do litoral brasileiro.

    O roteiro começa no centro histórico margeado pelo Rio Sanhauá, a partir do qual escorrem as ruas que deram origem à cidade. Nesse cenário contemplamos antigas igrejas, praças e casarões centenários diante da beleza da paisagem natural, com seus jardins, parques e ilhotas de vegetação típica, onde despontam ricos exemplares da mata atlântica. Das construções históricas, monumentos como o Hotel Globo e a Igreja de São Frei Pedro Gonçalves são pontos estratégicos para a visita ao centro histórico preservado. Nele, encontramos também a Igreja São Francisco, um dos mais ricos acervos da arquitetura barroca na América Latina. 
    Sem esquecer que ali está também um dos mais belos templos da arte paraibana:
    O teatro Santa Roza; além da praça João Pessoa, onde encontra-se O Altar da Pátria (monumento instalado em 1933), rodeada pelas sedes dos três poderes: o palácio do Governador, a Assembléia Legislativa e o Tribunal de Justiça.
    Outro cartão postal em pleno centro comercial da cidade é o Parque da Lagoa, com a Lagoa rodeada de palmeiras imperiais e ipês amarelos que em época de floração formam verdadeiros tapetes de flores, realçando a poesia e a beleza do lugar.
    Na orla da capital, além das dádivas da natureza exemplificadas em praias como Cabo Branco e Tambaú, a arte humana se faz presente em construções como a Estação Ciência, Cultura e Artes, obra projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer, nas proximidades do Farol do Cabo Branco, e o Centro de Convenções, localizado na PB-008.
    Afora os trajetos por terra, inclui-se no roteiro uma visita a duas atrações especiais que se formam no mar quando a maré baixa, a poucos quilômetros da orla de João Pessoa: as piscinas naturais de Picãozinho e a famosa Areia Vermelha, um banco de areia com cerca de dois quilômetros de comprimento por um de largura. Ainda em terra, ao norte da capital, na cidade portuária de Cabedelo, fica um dos mais importantes monumentos da história paraibana. Trata-se da Fortaleza de Santa Catarina, onde desde o século XVI travaram-se inúmeras batalhas pela colonização do Estado.
    De volta à cidade, é indispensável uma visita a Feirinha de Artesanato de Tambaú e ao Mercado do Artesanato Paraibano. Aí o visitante encontra uma grande variedade de rodutos da criatividade do artesão local, com peças produzidas nas mais diversas tipologias e matérias primas, como fibras, barro, fios, metal, brinquedos populares, madeira, reciclados, couro, osso e gastronomia.
    Vale destacar ainda o pôr-do-sol ao som do Bolero de Ravel, tocado ao vivo por Jurandi do Sax, na praia fluvial do Jacaré, às margens do Rio Paraíba.